No dia 5 de maio do corrente ano, durante o APA Annual Meeting (Encontro Anual da Associação Americana de Psiquiatria), foi apresentado o maior estudo clínico randomizado controlado já realizado com testes farmacogenéticos em todos os tempos. O estudo demonstrou que o uso de testes farmacogenéticos no tratamento de  pacientes diagnosticados com depressão refratária aumentou as taxas de remissão em 50% em relação ao tratamento comum no período de oito semanas.

Após 24 semanas, a taxa de remissão dobrou em comparação com as oito semanas anteriores, aumentando em 30%.

Liderado pelos Drs. Sagar Parikh e John Greden, da Universidade de Michigan, o estudo foi realizado com 1.167 mil voluntários em 60 locais de estudos, incluindo 20 grandes instituições acadêmicas. Os critérios para

Leia mais »