Teste Genético

  1. Depressão: Como lidar no dia a dia?

    O transtorno depressivo provoca uma vontade paralisada, necessidade de isolamento e pensamentos negativos persistentes. Como lidar com a depressão para vencer a doença e retomar as atividades diárias? Muitas vezes isso pode parecer um desafio, mas é com passos pequenos que o paciente consegue evoluir.

    Por mais que um primeiro passo para socializar ou fazer exercício físico seja difícil, são atitudes como essa que vão ajudar a pessoa com depressão a se recuperar. Após procurar ajuda profissional de um psiquiatra, confira algumas dicas para lidar com a depressão no dia a dia:

     

    1. Busque o apoio de amigos e família

    A própria doença gera a sensação de solidão e vontade

    Leia mais »
  2. Depressão: Contato com a natureza na infância reduz casos do transtorno

    As chances de ter depressão diminuem se, durante a infância, a pessoa tem contato com a natureza. Duas pesquisas foram realizadas no intuito de levantar dados para provar essa tese.

    Uma delas foi feita na Dinamarca, estudando a relação de espaços verdes em torno de lares de um milhão de crianças.  Outro estudo foi realizado na Espanha, no Instituto Barcelona para a Saúde Global (ISGlobal), com mais de 3.500 entrevistados.

    Tanto passeios no parque quanto brincar no quintal podem ser fatores que contribuem para a saúde mental na fase adulta.

     

    Contato com a natureza reduza em 55% o risco doenças como depressão

    Na Dinamarca, uma pesquisa buscou quantificar os benefícios das áreas

    Leia mais »
  3. Novo aliado na batalha contra a depressão

    Como todos os médicos sabem, o folato, também, conhecido como vitamina B9, é famoso por ser uma das 13 vitaminas essenciais para o corpo. O que pode passar despercebido por muitos, no entanto, é que um dos derivados do folato, chamado L-metilfolato, é, na verdade, a forma ativa da vitamina.

    Um dos papéis cruciais desempenhados pelo L-metilfolato é regular a síntese de três monoaminas neurotransmissoras centrais: a serotonina, a dopamina e a norepinefrina.

    As duas formas de folato

    O ácido fólico é a forma sintética do folato vitamina e está presente em alimentos enriquecidos artificialmente como pães, farinhas, complexos vitamínicos de toda qualidade, também como em vitaminas prescritas pelos profissionais da saúde.

    O

    Leia mais »
  4. Maior estudo sobre farmacogenética reforça importância do teste

    No dia 5 de maio do corrente ano, durante o APA Annual Meeting (Encontro Anual da Associação Americana de Psiquiatria), foi apresentado o maior estudo clínico randomizado controlado já realizado com testes farmacogenéticos em todos os tempos. O estudo demonstrou que o uso de testes farmacogenéticos no tratamento de  pacientes diagnosticados com depressão refratária aumentou as taxas de remissão em 50% em relação ao tratamento comum no período de oito semanas.

    Após 24 semanas, a taxa de remissão dobrou em comparação com as oito semanas anteriores, aumentando em 30%.

    Liderado pelos Drs. Sagar Parikh e John Greden, da Universidade de Michigan, o estudo foi realizado com 1.167 mil voluntários em 60 locais de estudos, incluindo 20 grandes instituições acadêmicas. Os critérios para

    Leia mais »
  5. Depressão o mal do Século

    A depressão foi considerada pela Organização Mundial da Saúde como o "mal do século XXI". Doença silenciosa, ela ainda é incompreendida inclusive por quem sofre do problema. Já fala-se sobre uma epidemia de depressão pois ela atinge 10% da população mundial e esse índice aumenta a cada ano.

    Para entender melhor sobre os sintomas da depressão, veja oque o médico Dráuzio Varella fala sobre o assunto:

     


    Leia mais »
  6. Uso de remédios durante o período de amamentação: Quais podem ser prejudiciais?

    É comum o uso de medicamentos quando se está amamentando, contudo vem a dúvida: Será que algum desses medicamentos pode me prejudicar ou ao meu bebê?

    Essa resposta depende de muitos fatores, os principais são: a sua genética, que pode influenciar  diretamente no metabolismo do medicamento, as substâncias contidas e a quantidade ingerida.

    Para isso explicaremos os tipos de metabolizadores:

    Metabolizador normal:

    As pessoas que possuem dois alelos normais ou tipo selvagem são denominadas de metabolizadores normais (67% da população), pois não apresentam variantes alélicas que possam alterar drasticamente a biotransformação dos fármacos. Para essas pessoas são recomendadas as doses padrões

    Leia mais »
  7. A importância do Pré-Natal durante a gravidez

    Sabemos da alegria que é gerar um filho e, é exatamente por isso, que as mães devem tomar todos os tipos de cuidados durante a gravidez para que a gestação seja saudável e segura. Um dos principais testes  para as gestantes é o pré-natal, que mostra as condições genéticas do bebê e possibilita uma maior preparação dos pais.

    Conhecendo as alterações genéticas:

    Trissomia

    Síndrome de Down -

    Os bebês com essa condição genética geralmente tem uma vida saudável, desde que sejam sempre incentivados, estimulados e também terem um acompanhamento médico para as doenças que podem ser desenvolvidas por causa dessa trissomia. Geralmente uma pessoa com esta síndrome

    Leia mais »
  8. A validade e utilidade clínica da farmacogenômica: Melhorar os resultados dos pacientes

    A validade e utilidade clínica da farmacogenômica: Melhorar os resultados dos pacientes

    A Farmacogenômica (FGx), análise de vários genes ao mesmo tempo, é uma ferramenta para auxiliar a seleção dos medicamentos psiquiátricos mais adequados para um tratamento personalizado, pois detecta as diferenças genéticas que contribuem para a variabilidade de resposta e potenciais efeitos adversos em um paciente.

    A maioria dos medicamentos é metabolizada por várias enzimas diferente e atuam em diferentes receptores celulares, transportadores, etc. Dessa forma, a análise de alguns poucos genes ou ainda reduzidas classes de genes (só genes metabolizadores) reduz a validade e a utilidade clínica dos testes. A farmacogenética é capaz de identificar indivíduos que estão em regimes de medicação que possam

    Leia mais »
  9. Glossário de Genética

    Saiba todas as palavras para ficar por dentro do assunto.

    Para facilitar a leitura, preparamos um material especial para você acessar também sempre que quiser.
    Você pode ler com o material, ou aqui mesmo, neste post.

     [button title="Baixar Glossário ↓" icon="" icon_position="" link="http://materiais.gntech.med.br/glossario-genetica" target="#f29400" color="#f29400" font_color="#f29400" large="0" class="" download="" onclick=""]

    Alelos

    Formas alternativas de um gene. Para polimorfismos de sequência os alelos se referem ao nucleotídeo específico (A, T, G, C) encontrado em uma determinada posição no cromossomo. Para polimorfismos de inserção-deleção, dois alelos são possíveis, o alelo maior (L) e o alelo menor (S). Ver também POLIMORFISMO.

    Alelo nulo

    Um alelo

    Leia mais »
  10. Benefícios dos testes farmacogenéticos

    Algo muito comum na relação entre médicos e pacientes, porém pouco divulgada, é o uso de determinados medicamentos para determinadas doenças que não possuem seu efeito desejado ou então causam uma série de efeitos colaterais ao paciente, precisando assim ter sua utilização suspensa, diminuída, acrescentada ou então trocada por um outro medicamento.

    O que a comunidade médica brasileira pouco sabe é que já existem testes farmacogenéticos presentes no Brasil que ajudam os médicos a entenderem como o seu paciente metaboliza os medicamentos para o sistema nervoso central. Isso permite a escolha dos medicamentos de maneira mais eficaz para cada paciente de forma de personalizada de acordo com seu perfil genético. Esses testes farmacogenéticos trazem uma série de benefícios que listaremos a seguir.

    Benefícios dos

    Leia mais »
Página