Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 11,5 milhões de brasileiros têm depressão. O transtorno é cada vez mais comum nos dias de hoje, mas como ajudar alguém com depressão? Podemos nos deparar com um familiar ou amigo passando por isso e é importante saber como lidar com a situação. O primeiro passo é identificar quando alguém próximo pode estar enfrentando esse transtorno. Apenas um profissional poderá fazer este diagnóstico. Porém, existem alguns sintomas de depressão que indicam alerta para procurar ajuda:

Isolamento

Fique atento ao ciclo de amizade e familiar. Se a pessoa começou a deixar de comparecER em eventos sociais, está mais introspectiva ou prefere ficar sozinha pode ser um sinal.

Mudança drástica de humor

A depressão pode atingir até mesmo as pessoas mais divertidas. Fique atento a grandes oscilações de humor.

Falta de motivação

A pessoa perde o prazer nas tarefas cotidianas e não tem mais ânimo para atividades que gostava.

Pensamentos negativos

A depressão deixa a pessoa insegura e há pensamentos negativos e repetitivos, forçando a imaginação para um lado negativo. Se você acredita que esse pode ser o caso, diversas pequenas atitudes podem fazer a diferença na vida dessa pessoa.

Passos para ajudar alguém com depressão

1: Seja presente e incentive a buscar ajuda

Muitas vezes, mostrar-se disponível para ouvir a pessoa já pode fazer a diferença. Ofereça ajuda e evite fazer julgamentos. Também é importante incentivar a busca de um profissional. Em muitos casos, só há melhora no quadro depressivo com psicoterapia e uso de antidepressivos. Se a pessoa for resistente, seja compreensivo e respeite as limitações. Pode ser que ela leve um tempo até aceitar que precisa de ajuda. Não desista.

2: Críticas podem agravar o problema

Às vezes queremos ajudar alguém, mas o jeito que nos comunicamos pode agravar o problema. Se você convive com alguém que enfrenta doenças como depressão, ansiedade ou síndrome do pânico, o cuidado com a maneira de falar pode fazer a diferença. É muito importante não tratar a doença como “falta de vontade”. Essas pessoas já enfrentam uma batalha diária, então evite apontar erros ou deixá-las mais culpadas. É possível motivar a superação de uma forma humana e empática. Pergunte como foi o dia dela, se você pode ajudar de alguma forma e tente incentivar a realizar as atividades diárias, sem julgamentos. Para quem está oferecendo a ajuda, pode ser cansativo e frustrante ver a pessoa sem ânimo, passando boa parte do tempo deitada e isolada. Mas seu papel de motivador é muito importante, tenha paciência e empatia.

3: Mostre exemplos de pessoas que superaram a depressão

A depressão altera o equilíbrio químico do cérebro, o que afeta o paciente de diversas formas. Uma delas é a recorrência de pensamentos negativos. A pessoa tem dificuldade em se ver saindo dessa situação, com dificuldade em enxergar possibilidades de superação. Umas das melhores formas de mostrar que é possível recuperar a qualidade de vida é mostrar exemplo de pessoas que passaram por isso. Os depoimentos geram identificação e ajudam a despertar a esperança para uma melhora. Veja aqui a história de três pacientes que enfrentaram a depressão, síndrome do pânico e ansiedade.

4: Cuide também da sua saúde mental

Quando queremos ajudar alguém com depressão, tentamos dar o máximo de apoio e suporte possível. É muito importante estar presente e mostrar-se disposto. Porém, não deixe de cuidar da sua saúde mental. Você precisar estar bem para oferecer apoio. Não deixe a pessoa se tornar totalmente depende de você. O excesso de zelo ou estar o tempo todo monitorando, pode ter efeito contrário. Além de afastá-la, pode fazer mal a você.

5: Pequenos momentos podem ter grandes significados

É comum a pessoa evitar atividades em grupos ou querer ficar sozinha. Mas a socialização é importante para superar a depressão e voltar a encontrar prazer nas atividades. Para ajudar alguém com depressão, tente envolvê-la em tarefas simples e valorize isso. Participar pode ser um esforço maior do que você imagina. Não crie momentos apenas para ela, mas busque a incluir nas atividades rotineiras. Peça ajuda para cozinhar, convide para ir com você em algum lugar. Crie novas memórias e comemore as pequenas conquistas.

Tratamento para depressão

A depressão é uma doença mental que pode ser tratada. A combinação da psicoterapia e uso de antidepressivos costuma ser a forma mais eficaz para melhora do quadro. Na psicoterapia, o psicólogo ou psicoterapeuta irá tentar corrigir os pensamentos negativos da pessoa com depressão e estimular atitudes positivas. Estes profissionais ajudarão o paciente a lidar com suas angústias. Por outro lado, a doença provoca um desiquilíbrio químico no cérebro. Há alteração nos níveis de substâncias importantes (chamados de neurotransmissores) para as conexões neuronais. Para tratar a forma que a doença afeta fisicamente o paciente existe o psiquiatra. Ele poderá receitar os medicamentos que poderão regular a química cerebral.

Ferramenta para um tratamento mais rápido e seguro

O teste farmacogenético é uma ferramenta inovadora que auxilia no tratamento da depressão. O exame sequencia os genes específicos do paciente para identificar como eles interferem na metabolização, resposta e toxicidade dos medicamentos. Ou seja, ele mostra como o organismo tende a reagir aos fármacos. O exame indica se há riscos de mais ou menos efeitos colaterais, qual a tendência de resposta ao medicamento pelo organismo e se é necessário baixa ou alta dosagem. Com isso, o médico consegue realizar uma prescrição mais assertiva e segura. Além disso, o tratamento tende a ser mais rápido, sem precisar testar o uso de diversos fármacos.