No mês de julho, o cantor e compositor Kanye West ganhou destaque nas redes sociais após uma série de tweets em que acusava sua esposa, Kim Kardashian, de tentar interná-lo. Não foi a primeira vez em que o rapper gerou polêmica após uma crise de transtorno bipolar.

O episódio mostrou que, além da pessoa com bipolaridade, a família precisa aprender a conviver com a doença. Sem o tratamento adequado, a pessoa tem oscilações de humor que variam entre a euforia e sintomas depressivos.

Para os familiares, pode ser um grande desafio lidar com a instabilidade emocional. Mas o apoio das pessoas próximas é fundamental para que o paciente encare o diagnóstico e o tratamento.

(Capa de álbum que Kanye West lançou após seu diagnóstico)

Sintomas do transtorno bipolar

Kanye West foi um dos entrevistados no programada “O Próximo Convidado Dispensa Apresentações”, do apresentador David Letterman, publicado na Netflix em 2019. O cantou falou um pouco sobre os sintomas que enfrenta durante as crises do transtorno bipolar. Ele relatou na época como fica paranoico, com pensamentos constantes que está sendo vítima de uma conspiração.

Os sintomas se dividem entre duas fases, conhecidas como mania e episódio depressivo.

Sintomas do episódio maníaco do transtorno bipolar:

- Ficar eufórico e exaltado,

- Apresentar muita energia para realizar tarefas,

- Aumentar os níveis de atividade,

- Ficar nervoso,

- Falar mais rápido do que o normal, unindo diversos assuntos,

- Ficar agitado ou irritado com facilidade,

- Sentir que seus pensamentos estão com uma velocidade acima do normal,

- Fazer coisas arriscadas ou no impulso, como gastar muito dinheiro.

Sintomas do episódio depressivo do transtorno bipolar:

- Pouca energia, dificuldade em sair da cama

- Ficar muito triste e sem perspectivas,

- Diminuir os níveis de atividades,

- Ter insônia ou hipersônia,

- Sensação de preocupação e vazio,

- Dificuldades para se concentrar,

- Alteração no apetite,

- Pensamentos negativos

Existem quatro tipos de transtorno bipolar e a classificação depende da intensidade dos sintomas e tempo de duração de cada fase do transtorno.

Saiba mais sobre os sintomas da bipolaridade e diferentes tipos do transtorno.

Como a família pode ajudar uma pessoa com transtorno bipolar

Os comportamentos e variações de humor imprevisíveis dos bipolares têm um grande impacto na vida social, principalmente familiar. O tratamento é muito importante para que a pessoa tenha uma qualidade de vida e não veja o transtorno interferindo em suas relações familiares ou âmbito profissional.

Mas como ajudar um familiar com transtorno bipolar? Algumas dicas podem ser úteis.

Demonstre apoio

É difícil para quem convive com um bipolar, mas é ainda mais difícil para quem vivência a montanha-russa de emoções. Busque demonstrar apoio e esteja disponível para a pessoa.

Em muitos casos, há uma resistência a buscar ajuda. Tente conversar e mostrar como as opções com paciência. Evite qualquer tipo de julgamento.

Identifique os sinais de uma possível crise

É possível identificar alguns sinais de alerta de uma possível crise de mania ou depressiva. Percebê-los o quanto antes é importante para realizar ajustes no tratamento e evitar um desequilíbrio maior. Fique atento se a pessoa estiver dormindo pouco ou falando muito rápido, ou com tristeza, cansaço e dificuldade para dormir.

Fique atento a possíveis gatilhos dos episódios bipolares

Algumas situações podem agravar um episódio ou até mesmo desencadeá-lo. Observar se existe uma situação específica que leva ao surgimento dos sintomas é importante para evitar a crise e até mesmo ajudar a pessoa a lidar com ela. Por exemplo: consumo de álcool, mudanças na rotina e estresse.

Mantenha a calma

Em um momento de crise, a pessoa com transtorno bipolar pode apresentar comportamentos agressivos e hostis. É importante manter a racionalidade e calma, evitar entrar em discussões e conflito. Procure manter a tranquilidade.

Converse sobre opções de tratamento

Aproveite períodos de humor estável para conversar sobre como lidar com a doença. Por exemplo, estabelecer uma rotina ou regras para os períodos de mania podem ser úteis para lidar com as crises.

É importante que o paciente compreenda como o tratamento pode fazer toda a diferença para ele se manter a situação sob controle. O acompanhamento profissional e medicação são aliados para que ele leve uma vida normal.

Tratamento adequado para o transtorno bipolar

O transtorno bipolar é uma doença sem cura, porém pode ser controlado. O tratamento adequado inclui o uso de medicamentos e psicoterapia. Além disso, adotar hábitos saudáveis como exercício físico, alimentação balanceada e sono regulado podem contribuir para melhora.

Em relação aos medicamentos, o tratamento depende do tipo de bipolaridade, gravidade e evolução da doença. Fármacos neurolépticos, antipsicóticos, anticonvulsivantes, ansiolíticos, estabilizadores de humor e o carbonato de lítio são utilizados para reverter os quadros agudos de euforia e evitar a recorrência das crises.

Teste Farmacogenético pode guiar tratamento de bipolaridade

Os genes podem interferir na forma como os medicamentos atuam no organismo, impactando no metabolismo, toxicidade e resposta das substâncias. O teste farmacogenético é um avanço tecnológico que busca promover mais assertividade nas prescrições, promovendo um tratamento personalizado.

O exame analisa como os genes do paciente interferem nos principais medicamentos utilizados no tratamento do transtorno bipolar. Com isso, o laudo indica quais tendem a ser os fármacos mais eficazes e com menos riscos de efeitos colaterais, tornando o tratamento mais seguro.

No Brasil, a Gntech possui dois testes farmacogenéticos que analisam medicamentos de uso psiquiátrico. O PsicoGene® analisa 32 genes e 93 fármacos, abrangendo estabilizantes de humor, psicoestimuladores, antidepressivos, antipsicóticos e ansiolíticos.

Já o TotalGene® é uma versão mais completa do exame, com análise de 60 genes e 172 fármacos, incluindo medicamentos das áreas de psiquiatria, oncologia, cardiologia, infectologia, entre outras. É indicado especialmente para quem quer ter à mão um mapeamento genético mais completo, que possa guiar diversos tratamento ao longo da vida.

Depoimento de Kim Kardashian sobre o desafio de lidar com o transtorno bipolar

Confira na íntegra a tradução do depoimento que Kim Kardashian postou nos stories de seu Instagram pessoal após a recente crise do marido, Kanye West. No texto ela fala da dificuldade das pessoas entenderem como é para a família lidar com casos de transtorno bipolar e pede para as pessoas terem mais empatia com quem enfrenta a situação.

"Como muitos de vocês sabem, Kanye tem um distúrbio bipolar. Qualquer pessoa que tem isso ou que possui um ente querido na sua vida que sofre tem isso, sabe o quão incrivelmente complicado e doloroso é para entender.
Eu nunca falei publicamente sobre como isso nos afetou em casa, porque eu sou muito protetora dos nossos filhos e do direito de Kanye à privacidade quando se trata de sua saúda. Mas hoje, sinto que devo comentar por causa do estigma e equívocos sobre saúde mental.

Aqueles que entendem sobre doenças mentais ou mesmo comportamento compulsivo sabem que a família não tem poder, a menos que a pessoa seja menor de idade. As pessoas que desconhecem ou estão distantes dessa experiência podem julgar e não entender que o próprio indivíduo precisa se engajar no processo de obter ajuda, por mais que a família e os amigos tentem.

Eu entendo que Kanye está sujeito a críticas, porque ele é uma figura pública e suas ações às vezes podem causar opiniões e emoções fortes. Ele é uma pessoa brilhante, mas complicada, que, além das pressões de ser um artista e um homem negro, experimentou a dolorosa perda de sua mãe e precisa lidar com a pressão e o isolamento que é o seu distúrbio polar. Estão próximos de Kanye, que são conhecidos por seus pais. Aqueles que seu coração e entendem suas palavras algumas vezes não se alinham com suas intenções.

Viver com desordem bipolar não diminui ou invalida seus sonhos e suas ideias criativas, por maiores ou impossíveis de serem alcançados por alguns. Isso faz parte de seu gênio e, como todos testemunhamos, muitos de seus grandes sonhos se tornaram realidade.


Nós, como sociedade, falamos em dar graça à questão da saúde mental como um todo, mas também devemos dar às pessoas que vivem com ela nos momentos em que mais precisam. Peço gentilmente que a mídia e o público nos deem a compaixão e empatia necessárias para que possamos superar isso. Você por aqueles que expressaram preocupação pelo bem-estar de Kanye e por sua compreensão.

Obrigado com amor e gratidão, Kim Kardashian West."

Referências:

Pfizer , Revista Marie Claire

Fotos: Instagram Kim Kardashian