A depressão é um transtorno psicológico que pode ser tratado por psicólogos e psiquiatras. Aproveitando o mês do Dia do Psiquiatra (13/8) e Dia do Psicólogo (27/8), vamos falar do papel de cada profissional durante o tratamento e de sua importância.

O transtorno depressivo passou a ser uma pauta mais comentada recentemente e ainda envolve muitos tabus. Com isso, ainda existem preconceitos a respeito do trabalho psicólogo e o psiquiatra.

Infelizmente, o estigma a respeito da doença impede muitas pessoas de buscarem ajuda e tratamento. Portanto, a informação sobre o tema é tão relevante para que seja possível superar as barreiras em relação à saúde mental.

É possível tratar a depressão com o psicólogo, por meio da psicoterapia, ou com o psiquiatra, através dos antidepressivos. Entretanto, os tratamentos que combinam ambos os métodos costumam ter maior eficácia.

 

Como o psiquiatra atua no tratamento para depressão

O psiquiatra é o médico que trata de transtornos mentais e tem a medicação como principal ferramenta. Esse profissional observa sinais dos pacientes e reclamações que eles trazem para dar um diagnóstico e, assim, buscar o tratamento mais adequado.

A depressão provoca alterações na neurotransmissão, processo que envolve diversas substâncias, como a dopamina, serotonina e noradrenalina. A doença interfere em como se dá o processo de transmissão e recepção das células nervosas, afetando o bem-estar do paciente.

Esse desequilíbrio químico cerebral é tratado com os antidepressivos, que buscam retomar a regularidade do funcionamento do cérebro. O psiquiatra é quem vai definir a necessidade do medicamento, qual utilizar e em que dosagem.

Até pouco tempo, a prescrição de fármacos para tratamento de depressão era realizada apenas na tentativa e erro. Com isso, muitos pacientes sofriam com efeitos colaterais e, por vezes, precisavam de mais de muitas tentativas para encontrar o medicamento mais eficaz para seu caso. Mas hoje os psiquiatras contam com o teste genético para prescrever o tratamento de forma mais segura e eficiente.

O teste farmacogenético é um exame que, através do sequenciamento genético, analisa como os genes do paciente interferem no metabolismo, resposta e toxicidade dos medicamentos. Consequentemente, ajuda prever como a pessoa deve reagir a cada fármaco, possibilitando mais assertividade na prescrição médica.

Saiba aqui como fazer um teste genético para o tratamento de depressão.

 

O papel do psicólogo no tratamento para depressão

Alguns estudos de psicologia apontam que existe uma tendência nos pensamentos de quem sofre depressão que pode contribuir com a manutenção da doença. Trata-se, normalmente, de pensamentos negativos em relação a si mesmo, ao ambiente ao redor e ao futuro. Com isso, o paciente assume uma postura negativa e “hipergeneralizada”, encarando negativamente todas as situações.

Como resultado dessas observações, surgiu a terapia comportamental-cognitiva. Nela, o psicólogo trabalha para corrigir os pensamentos do indivíduo deprimido. Ao mesmo passo, procura-se estimular atitudes que vão de encontro às ideias negativas para que o paciente vença essa barreira.

A Psicologia estuda como compreender o que se espera de características sentimentais e comportamentais em cada fase da vida. Na psicoterapia, o profissional busca entender a visão de mundo, crenças e tudo aquilo que é importante para o indivíduo.

Portanto, a atuação do psicólogo no tratamento para depressão tem o objetivo de auxiliar o paciente a entrar em contato com suas angústias profundas para aprender a lidar com elas.

 

Referências: Minha Vida,Golbery Capistrano, Vittude