A campanha Janeiro Branco foi criada em 2014 por um grupo de psicólogos de Minas Gerais com a proposta incentivar o debate sobre saúde mental. A escolha de janeiro é estratégica, pois o começo do ano pode gerar ansiedade pelo desejo de cumprir as metas dos 12 meses seguintes e frustração por não ter realizado todos projetos do ano anterior.

O Janeiro Branco serve como um alerta para que as pessoas iniciem o ano de uma maneira sadia, tanto emocional quanto psicologicamente. O objetivo é colocar esse tema em evidência, promovendo a conscientização sobre a importância da prevenção ao adoecimento emocional e de procurar ajuda quando necessário.

É um momento de avaliar sua saúde mental, inserir novos hábitos na rotina e saber a hora de buscar ajuda profissional.

 

O panorama da saúde mental no Brasil

Entre os principais transtornos mentais que acometem a população estão a depressão e a ansiedade e os primeiros sintomas podem ser sutis, como a insônia e dificuldade em se concentrar.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 300 milhões de pessoas sofrem de depressão em todo o mundo. No Brasil, em torno de 12 milhões de pessoas tem depressão. O número de brasileiros com o transtorno é equivalente a 5,8% da população, colocando o país em segundo lugar no ranking americano (atrás apenas dos Estados Unidos).

A OMS indica que ao menos 18,6 milhões de brasileiros vive com algum transtorno de ansiedade. O índice representa cerca de 9% da população e inclui pessoas com transtorno obsessivo-compulsivo, fobias, estresse pós-traumático e síndrome do pânico.

A campanha convida a revermos nossos hábitos diários em busca da saúde mental, mas também cobra medidas das instituições. De acordo com o manifesto, os criadores do Janeiro Branco têm como proposta “sensibilizar as mídias, as instituições sociais, públicas e privadas, e os poderes constituídos, públicos e privados, em relação à importância de projetos estratégicos, políticas públicas, recursos financeiros, espaços sociais e iniciativas socioculturais empenhados em valorizar e em atender as demandas individuais e coletivas, direta ou indiretamente, relacionadas aos universos da Saúde Mental”.

Os números mostram a importância uma mudança de comportamento e mentalidade em vários níveis da nossa sociedade, de modo a se encarar a saúde mental com mais seriedade.

 

Leia tambem: Sono e saúde mental: Dicas para dormir bem e evitar a insônia

 

A importância do tratamento para transtornos psicológicos

Doenças psicoemocionais podem interferir no bem-estar e qualidade de vida. A depressão, por exemplo, é a principal causa de incapacidade em todo o mundo e contribui de forma importante para a carga global de doenças.

É muito importante buscar ajuda profissional e tratamento adequado. Assim, a pessoa consegue controlar os sintomas e impedir que o transtorno interfira em diversos aspectos da vida.

O tratamento de doenças como depressão e transtorno de ansiedade normalmente combinam psicoterapia e uso de medicamentos. A psicoterapia pode ser realizada com psicológico ou psicoterapeuta. O profissional ajuda o paciente a entender e lidar com suas angústias.

Transtornos como esses afetam a química cerebral, por isso pode ser importante o uso de fármacos. O tratamento medicamentoso é indicado por psiquiatra e busca controlar os sintomas.

 

O tratamento para ansiedade e depressão a partir do Teste Farmacogenético

A tecnologia da indústria farmacêutica evoluiu muito nas últimas décadas e existem hoje diversas opções de medicamentos para o tratamento de depressão. Porém, cada pessoa possui suas particularidades genéticas que podem interferir na resposta, metabolização e toxicidade dos fármacos. Uma opção eficaz para um paciente pode não ter efeito ou causar efeitos adversos em outro.

teste farmacogenético pode ajudar a prever como o organismo do paciente tende a responder aos principais fármacos e evitar tentativas frustradas de tratamento com medicamentos que não teriam boa resposta. Assim, o exame representa um ganho de segurança no tratamento e qualidade de vida.

O exame é utilizado para guiar o tratamento de transtornos como depressão e ansiedade. O teste é um recurso da medicina personalizada que analisa como os genes do paciente interferem no desempenho dos medicamentos. O exame indica quais medicamentos e dosagens tendem a ser mais eficazes e seguras para o paciente. É indicado para quem vai iniciar um tratamento ou que já tentou alguns medicamentos sem resultados significativos.

No Brasil, a GnTech realiza dois testes farmacogenéticos que abrangem fármacos utilizados em tratamentos de doenças do Sistema Nervoso Central, o PsicoGene® e o TotalGene®.

PsicoGene®

Analisa 32 genes e 95 fármacos, abrangendo estabilizantes de humor, psicoestimuladores, antidepressivos, antipsicóticos e ansiolíticos.

TotalGene®

Versão mais completa do exame, com análise de 60 genes e 175 fármacos, incluindo medicamentos das áreas de psiquiatria, oncologia, cardiologia, infectologia, entre outras. É indicado especialmente para quem quer ter à mão um mapeamento genético mais completo, que possa guiar diversos tratamento ao longo da vida.

Saiba mais sobre os testes farmacogenéticos.

 

Hábitos que podem contribuir com a saúde mental

Cuide da sua alimentação

Uma dieta com a combinação certa de vitaminas, minerais, óleos e gorduras saudáveis pode ajudar a melhorar nossas funções cerebrais, níveis de energia, memória, além de controlar as emoções.

Ter uma alimentação saudável contribui para a recuperação em casos de depressão e ansiedade. A preferência é para carboidratos integrais e alimentos com triptofano, aminoácido que ajuda na produção de serotonina.

Priorize o sono

Além de prejudicar o sistema cognitivo, a falta de sono pode causar um mal-estar emocional, pois está relacionada à pensamentos negativos repetitivos e ativação da adrenalina, gerando estresse.

Busque dormir 8h diárias. Evite utilizar o celular antes de dormir ou consumir bebidas estimulantes à noite.

Faça atividades físicas

A atividade física libera serotonina no organismo, neurotransmissor que garante a sensação de felicidade. Por isso, a prática de esportes e atividades físicas está relacionada também a saúde mental e emocional.

Exercícios regulares são capazes de reduzir o desânimo, tristeza, irritabilidade e nervosismo.

Pratique a atenção plena (Mindfulness)

Há muitas evidências científicas que comprovam que praticar a atenção plena ou meditar todos os dias traz benefícios para nossa cognição e estado emocional.

Atenção plena ou Mindfulness é a prática de se concentrar na ação presente, sem julgamento ou juízo de valor do que se faz. Isso pode ser praticado mesmo em ações corriqueiras, como tomar banho.

Experimente: ao ligar o chuveiro, tente se concentrar no barulho da água passando pelo cano e chegando até a ducha. Ao entrar, sinta a água pelo seu corpo e se concentre nessa sensação.

 

Referências:

Amafresp, Estadão, PAHO, Psiquiatria Paulista.