O governo anunciou diversas medidas com o objetivo de que a população fique em casa para evitar o avanço do contágio do novo coronavírus (Covid-19). Tanto o isolamento quanto a cobertura mundial da doença podem acabar prejudicando a saúde mental de quem sofre com transtornos como ansiedade e depressão.

É um momento de pensar coletivo e cada um fazer sua parte para frear o aumento no número de casos e impedir a sobrecarga do sistema de saúde. Por isso, algumas dicas para lidar bem com a quarentena podem ser muito valiosas nesse momento.

Dicas para quem vai ficar em casa de quarentena

Cuidado com o excesso de informações

A cobertura sobre o coronavírus é crescente desde dezembro. Atualmente, emissoras brasileiras estão ampliando seus programas jornalísticos para passar mais informações para a população. Mas para pessoas que tem ansiedade ou enfrentam os pensamentos negativos de uma depressão, pode ser bem difícil acompanhar.

Para evitar o pânico, ansiedade e pessimismo, tente não fica conectado o tempo todo. Informe-se com o noticiário apenas uma vez ao dia. Normalmente os telejornais noturnos têm a cobertura mais completa e fazem o balanço do dia. Na internet, consuma apenas informação de veículos confiáveis, não dê chance para fakenews.

Busque fazer coisas que proporcionem bem-estar e se entretenha. Nas redes sociais, o assunto também é recorrente, então é válido desconectar-se um pouco também.

Cuide do seu corpo

As academias estão fechadas, mas mesmo em casa é possível cuidar do seu corpo. Mantenha uma alimentação saudável, medite e faça exercícios físicos.

Diversos canais do YouTube ensinam treinos funcionais para fazer em casa ou técnicas de ioga. Muitas academias também estão disponibilizando gratuitamente treinos em seus sites. Alguns profissionais estão fazendo lives no Instagram com exercícios para fazer em casa.

banner teste farmacogenetico

Busque combater o pessimismo

Pensamentos negativos são um dos sintomas de quem enfrenta a depressão. Um período de isolamento e pandemia pode ser bem difícil para quem enfrenta o transtorno.

Tente ter uma visão positiva da situação. Encare o isolamento como um ato coletivo pelo bem maior. Busque compartilhar mensagens positivas e de apoio mútuo durante esse período.

Tente estabelecer uma rotina em casa

Criar uma rotina pode ser bem importante durante o isolamento. Determine qual será seu horário de home oficce, separe um tempo para ler, estudar e se exercitar. Isso pode ajudar a organizar seu dia para ser mais tranquilo e produtivo.

Conecte-se às pessoas

O isolamento pode ser um período bem solitário. Mantenha contato com seus amigos e familiares. A tecnologia é uma grande aliada nesse sentido.

Separe uma hora do dia para ligar para família, perguntar nos grupos de WhatsApp como as pessoas estão. Use as redes sociais a seu favor.

E se está em casa com outras pessoas, também é hora de pensar coletivamente. O convívio pode ser um desafio, busque ter empatia.

Peça ajuda e mantenha o tratamento

Se mesmo com todos esses cuidados for difícil para controlar as crises e lidar com a situação, busque ajuda. Converse bastante com pessoas próximas e compartilhe sua angústia.

Muitos psiquiatras, psicoterapeuta e psicólogos estarão reforçando o atendimento remoto, via ligação ou videochamada. O Centro de Valorização da Vida (CVV) também está sempre disponível no número 188 ou chat online.

Se você já está em tratamento, não o abandone. Mantenha sua medicação e converse com seu médico sobre como será o acompanhamento. Nesse momento, é ainda mais importante.