Os sintomas de TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade) se manifestam já na infância. Estima-se que 3 a 5% das crianças possuem esse transtorno neurobiológico de origem genética. A doença acompanha o indivíduo na vida adulta em mais da metade dos casos, segundo a ABDA (Associação Brasileira do Déficit de Atenção). O TDAH é reconhecido oficialmente pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em alguns países, como os Estados Unidos, os portadores do transtorno são protegidos por lei para receberem um tratamento especial na escola. Mas como identificar que uma criança tem TDAH? Geralmente é na vivência na escola que o transtorno se evidencia. Confira alguns indícios que servem de alerta.

Sintomas de TDAH

Distração

Um exemplo de sintoma de TDAH é quando a criança possui dificuldades de concentração. Aquela expressão de “vive no mundo da lua” costuma ser utilizada para descrever esse comportamento. A pessoa se distrai facilmente e não consegue manter o foco em uma tarefa por muito tempo. Em adultos, a desatenção também é combinada com problemas de memória.

Hiperatividade

É normal as crianças serem ativas e gostarem de brincar. Porém, crianças com TDAH estão constantemente movimentando-se e mudando seu foco de uma atividade para outra. Por exemplo, para um aluno com o transtorno, pode ser difícil manter-se sentado prestando atenção na aula. A hiperatividade também pode ser percebida na falta de organização, seja com o ambiente ou para as tarefas. Também pode se expressar por meio de um temperamento explosivo e aparente imaturidade.

Impulsividade

A impulsividade também pode ser um sintoma de TDAH. Por isso, entre os adolescentes, pode surgir dificuldade para lidar com regras e limites. Esse sintoma é mais comum entre os meninos. É comum que tomem decisões precipitadas. Não conseguem avaliar seu próprio comportamento e quanto isto afeta os demais à sua volta. Isso reflete na vida profissional, social e afetiva.

Veja como os sintomas se manifestam e impactam na vida de quem tem TDAH:

Como tratar TDAH

O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade requer um tratamento que combina diversos fatores. Por exemplo, uso de medicamentos, orientação dos pais e professores e ensinar técnicas específicas ao portador.

O uso de medicamentos controla os efeitos do transtorno, diminuindo os sintomas como a impulsividade e desatenção. Com isso, os fármacos contribuem para o desenvolvimento pedagógico e desempenho em funções profissionais. Podem ser prescritos psicoestimulantes, antipsicóticos e antidepressivos.

O médico poderá escolher os medicamentos de duas formas. Pelo método da tentativa e erro, com maiores riscos de ineficácia e efeitos colaterais, ou após a realização de um teste farmacogenético.

O exame farmacogenético faz o sequenciamento genético do paciente e analisa como os medicamentos tendem a se comportar em seu organismo. Assim, o médico consegue escolher os fármacos mais adequados para resultados mais rápidos e seguros.

Em relação a psicoterapia, a Terapia Cognitivo Comportamental é a indicada para o tratamento do TDAH.

Referências: tdah.org.br, neurosaber.com.br